BC mantém juro básico, mas sinaliza corte em 2009

BRASÍLIA (Reuters) - O Comitê de Política Monetária (Copom) manteve nesta quarta-feira a taxa básica de juro em 13,75 por cento ao ano, em linha com expectativas do mercado. A decisão foi unânime, mas o Banco Central deu um claro sinal de que pode cortar a Selic em breve. Tendo a maioria dos membros do comitê discutido a possibilidade de reduzir a taxa básica de juro já nesta reunião, em ambiente macroeconômico que continua cercado por grande incerteza, o Copom decidiu por unanimidade ainda manter a taxa Selic em 13,75 por cento ao ano neste momento, afirmou o colegiado do BC em nota.

Reuters |

"O comitê irá monitorar atentamente a evolução do cenário prospectivo para a inflação com vistas a definir tempestivamente os próximos passos de sua estratégia de política monetária."

Pesquisa da Reuters feita na semana passada mostrou que, de 25 analistas consultados, 24 esperavam que o BC manteria a Selic.

A avaliação é que, dada a volatilidade em meio à crise financeira global, as perspectivas para o crescimento e para o câmbio no Brasil ainda são incertas e o BC optaria por ganhar mais tempo para avaliar o cenário.

O Produto Interno Bruto (PIB) do país cresceu 6,8 por cento no terceiro trimestre frente a 2007, bem acima das expectativas do mercado. Dados mais recentes da indústria e do emprego, no entanto, já sinalizam um claro desaquecimento da atividade.

A inflação também surpreendeu com desaceleração em novembro, mas a escalada do dólar alimenta temores sobre o comportamento futuro dos preços.

Depois de quatro aumentos sucessivos da Selic, o BC interrompeu, em outubro, o processo de aperto monetário diante do agravamento da crise externa.

A próxima reunião do Copom está agendada para os dias 20 e 21 de janeiro.

(Reportagem de Isabel Versiani)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG