BRASÍLIA - Os deputados da base aliada ao governo que fazem parte da CPI dos Grampos, conseguiram barrar, nesta quarta-feira, o pedido de convocação do ex-deputado e advogado, Luiz Eduardo Greenhalgh para depor à comissão.

Acordo Ortográfico

Interessava ao autor do requerimento, deputado Gustavo Fruet (PSDB-PR), apurar a denúncia de que Greenhalgh recebera informações sigilosas sobre as investigações da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), através do chefe de gabinete do presidente Lula, Gilberto Carvalho.

Na conversa entre os dois, que foi grampeada pela Polícia Federal, Greenhalgh quer saber se a agência estava investigando seu cliente, o investidor Humberto Braz. Além disso, o ex-deputado teria sido o representante dos interesses do grupo Opportunity, de Daniel Dantas.

"Trata-se de pedir informação de um ex-deputado, candidato à presidência da Câmara, que falou com o chefe de gabinete do presidente para tratar de assuntos privados. Isso é um fato que não deve ser encarado com naturalidade. Não se pode achar que isso é algo usual na vida de um país. Precisamos saber do advogado os fatos investigados na Satiagraha que não têm relação com o Daniel Dantas", lamentou Fruet.

Leia mais sobre: CPI dos Grampos

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.