Base aliada se rebela contra demora para liberar verbas

Os partidos da base na Câmara se rebelaram contra a demora na liberação de recursos que entraram no Orçamento da União por meio de emendas feitas pelos parlamentares e afirmaram que só votarão projetos no plenário depois de normalizada a situação. Em reunião de líderes com o presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), o PMDB, o PTB, o PP e o PR anunciaram que votariam apenas a medida provisória (MP) 462, que está na pauta de hoje, adiando as demais votações para depois da execução orçamentária.

Agência Estado |

Esse texto foi apelidado de "MP ônibus", por causa dos itens incluídos pelo relator, Sandro Mabel (PR-GO), à MP do governo.

O vice-líder do governo, deputado Ricardo Barros (PP-PR), justificou o atraso na liberação das emendas com a queda da arrecadação. Segundo ele, no primeiro semestre, a União arrecadou menos R$ 13 bilhões do que está no Orçamento, o que implica cortes. O vice-líder disse que o governo espera a confirmação da arrecadação para resolver o problema. "É uma ação normal e prudente por parte do ministro (do Planejamento, Paulo Bernardo). Ele tem de ter a cautela de quem tem a responsabilidade com o Orçamento", disse Barros, lembrando que não é possível cortar no custeio.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG