BRASÍLIA - Em sua primeira aparição oficial após a áspera discussão com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, o ministro Joaquim Barbosa evitou fazer comentários sobre o incidente e limitou-se a falar sobre a improbidade administrativa e seus efeitos na Justiça eleitoral. Ele participou hoje de um debate na Justiça Federal em Brasília sobre improbidade administrativa.

Barbosa, porém, recebeu uma manifestação de solidariedade do procurador da República, Hélio Telho Correa, em nome do Ministério Público Federal de Goiás. Sem citar nomes e numa referência velada ao episódio da semana passada, Telho afirmou: "sou porta-voz dos procuradores e achamos que vossa excelência disse o que precisava ser dito".

À saída do auditório, Barbosa evitou conversar com jornalistas. Amanhã Joaquim Barbosa estará em São Paulo dando continuidade a um tratamento de coluna. Ele deverá voltar ao plenário do STF na quinta-feira, na continuidade do julgamento sobre a constitucionalidade da Lei de Imprensa.

Agência Brasil
O ministro do STF Joaquim Barbosa faz palestra na Justiça Federal
Na semana passada, os dois ministros se envolveram em uma discussão durante um julgamento no plenário do STF. O desentendimento começou quando o STF analisava recursos em que era discutido se as decisões, sobre benefícios da Previdência do Paraná e sobre foro privilegiado, tinham ou não efeito retroativo. Essas decisões haviam sido tomadas em sessões em que Barbosa faltou aos julgamentos - ele estava de licença. O ministro Barbosa disse que a tese de Mendes deveria ter sido exposta "em pratos limpos". Mendes respondeu: "Ela foi exposta em pratos limpos. Eu não sonego informações. Vossa Excelência me respeite", e lembrou que o ministro faltara à sessão em que o recurso começou a ser decidido.

Quando Mendes disse que o ministro não tinha "condições de dar lição a ninguém", Barbosa rebateu: "Vossa Excelência está destruindo a Justiça deste País e vem agora dar lição de moral em mim? Saia à rua, ministro Gilmar. Saia à rua, faz o que eu faço", afirmou Barbosa. Em seguida, depois de Mendes dizer que estava na rua, Barbosa acrescentou: "Vossa Excelência não está na rua não. Vossa Excelência está na mídia, destruindo a credibilidade do Judiciário brasileiro. Vossa Excelência quando se dirige a mim, não está falando com os seus capangas do Mato Grosso, ministro Gilmar. Respeite". A sessão foi encerrada após o bate-boca.

Assista ao trecho da sessão tensa de quarta-feira

Leia também:

Leia mais sobre: STF

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.