Bancários fazem encenação contra a homofobia

No Dia Mundial Contra a Homofobia, São Paulo é palco de protestos

iG São Paulo |

Bancários realizaram nesta segunda-feira uma encenação na Praça do Patriarca, região central de São Paulo, para marcar o Dia Mundial contra a Homofobia. Com os rostos pintandos, os participantes vestiam camisetas com os dizeres "Cuide bem do seu amor, seja quem for" e "A intolerância é uma doença!".

AE
Manifestante segura boneca e pedi o fim da discriminação

Segundo eles, o objetivo do ato é pedir que o Congresso Nacional aprove o projeto que torna crime a homofobia e propagar a realização da primeira marcha LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transsexuais) que será realizada na Esplanada do Ministérios, em Brasília, na próxima quarta-feira.

Pelo mundo

Nesta segunda-feira, o diretor-executivo do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids (cuja sigla em inglês é Unaids), Michel Sidibé, pediu também que os governos se esforcem para evitar o preconceito e a discriminação.

Segundo ele, dos 192 países que integram a Organização das Nações Unidas (ONU), 85 deles ainda mantêm leis que criminalizam o comportamento homossexual. Sidibé disse que a homofobia é considerado um dos principais obstáculos à implementação de estratégias de prevenção do vírus HIV.

“Apelo a todos os governos para que tomem medidas que eliminem o estigma e a discriminação enfrentados pelos homens que fazem sexo com homens, lésbicas e transgêneros. Os governos também devem criar ambientes sociais e legais que assegurem o respeito pelos direitos humanos e permitir o acesso universal à prevenção, tratamento, cuidados e apoio”, afirmou Sidibé.

De acordo com o representante da ONU, de 5% a 10% dos casos registrados de contaminação ocorrem em relações sexuais entre homens, mas os percentuais variam de acordo com países e regiões. Porém, lembrou ele, apesar dos dados, os homossexuais masculinos continuam sofrendo discriminação por parte de profissionais de saúde, prestadores de serviços, entidades patronais e forças de segurança.

“A homofobia é parte significativa da epidemia de HIV [Aids] em todas as regiões do mundo. Apenas um em cada 10 [homossexuais e transgêneros] tem acesso a serviços de prevenção do vírus”, disse.

De acordo com a Unaids, em 17 de maio de 1990, a Assembleia Mundial da Saúde aprovou a 10ª edição da Classificação Internacional de Doenças (CID) estabelecendo que a orientação sexual (heterossexual, bissexual ou homossexual) deixariam de ser “considerada como uma desordem”. Por esse motivo, o Dia Internacional contra a Homofobia é comemorado em 17 de maio.

*Com informações das agências Estado e Brasil

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG