O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, prestou homenagem agora à noite aos jornalistas mortos no exercício da função, inaugurando um memorial na sede da BBC em Londres.

O monumento é dedicado a "todos os jornalistas que, através do mundo, enfrentaram perigos mortais e pagaram o preço mais caro por sua coragem", declarou Ban ante representantes da classe política, jornalistas, ex-reféns e familiares de profissionais da imprensa mortos em serviço.

O memorial representa "a lembrança solene daqueles que perderam a vida tornando-se porta-vozes daqueles que não têm voz", acrescentou.

Esta escultura cônica de vidro e aço, com uma altura de 10 metros, projetará um halo de luz aos céus às 22H00 (21H00 GMT) diariamente, tendo sido instalado no telhado da sede principal do órgão de rádio e televisão pública britânica, em Portland Place, centro de Londres.

A inauguração do monumento coincide com as recentes mortes de dois jornalistas da BBC, Abdul Samad Rohani e Nesteh Dahir Faraah, no Afeganistão e na Somália, respectivamente.

Rodney Pinder, diretor do International News Safety Institute (organismo que se dedica à segurança dos profissionais), afirmou que os jornalistas mortos eram "heróis da democracia, porque sem liberdade de imprensa não há uma verdadeira liberdade".

gj-psr/sd/LR

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.