Bambu, uma alternativa sustentável na construção

Bambu, uma alternativa sustentável na construção Por Marília Almeida São Paulo, 01 (AE) - O bambu é um material que começa a ser olhado com outros olhos pelo mercado de construção e decoração, devido ao seu apelo ecológico e processo de plantio sustentável, unido à características naturais, como a resistência comparada ao aço. De crescimento rápido, é um material que se renova rapidamente na natureza e pode ser usado na estruturação de colunas, viga e lastro, além de usos mais comuns, como forros, painéis para revestimento de parede ou teto, divisórias, biombos, cercas para jardim e faixas prensadas na parede e móveis.

Agência Estado |

Porém, assim como a madeira, sua durabilidade é relativa e pode ser fortemente influenciada pelas condições locais. Alguns têm um ciclo de cinco a dez anos de vida. Depois disso, começam a se degradar. "Vale o mesmo princípio e cuidados da madeira, devendo ser utilizado nas mesmas condições. Ele deve ser mantido seco e longe de ambientes úmidos e com luz solar direta. Devido à sua resistência, pode ser aplicado em pisos em áreas de alto tráfego", explica Rodrigo Mardondez Ferraz, arquiteto da FGMF

O produto bruto tem baixo custo, mas chapas de bambu industrializadas geralmente são importadas e mais caras, diz a arquiteta Celina Llerena, sócio fundadora do Ebiobambu. "Uma peça de 13 cm de diâmetro com 7,5 m de comprimento custa, em média, R$ 15.Não temos matéria prima e faltam políticas de incentivos ao material em larga escala."

Como revestimento em áreas internas, o bambu tem propriedades termo acústicas e cria um colchão de ar interno que torna o ambiente mais quente ou fresco que o exterior. O tratamento das peças com verniz protege o material, mas, mesmo protegido, o ideal é que seja colocado na sombra em áreas externas. "Caso recebam raios do sol, vão rachar, e a manutenção deve ser maior, feita de duas a três vezes por ano. Por isso, utilizá-lo como pergolado não é indicado a não ser com telhas transparentes por cima". Em ambientes cobertos, a manutenção deve ser anual.

Rústico, ele pode não possuir a nobreza da madeira, mas além de resistente, sua estrutura tubular permite cortes diferenciados, bem como seu longo comprimento (o produto pode chega a medir 30 metros de altura). No Brasil, a maior parte não é de origem local, e a bambusa é a espécie mais comum.

Boxe:
DICAS
Tem resistência maior do que a madeira e comparada ao aço

De crescimento rápido, se renova rapidamente na natureza. Algumas espécies têm um ciclo de cinco a dez anos de vida

O produto bruto tem baixo custo. Uma peça de 13 m custa, em média, R$ 15

Chapas industrializadas são importadas e mais caras

Como revestimento em áreas internas, tem propriedades termo acústicas e torna o
ambiente mais quente ou fresco que o externo

Em áreas externas, deve ser colocada na sombra

A manutenção com demão de verniz deve ser anual

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG