Para curta temporada, estreia hoje o espetáculo Brincadeiras Natalinas, a resposta do Ballet Stagium ao ‘fenômeno Quebra-Nozes’ que ocorre todo dezembro pelo mundo, época em que centenas de grupos encenam esse clássico de 1892. Aqui mesmo, em São Paulo, vivemos uma situação inédita, com três produções diferentes disputando o público: com o Cisne Negro e mais duas do Rio, a do Teatro Municipal e a da Cia.

Brasileira de Ballet. "Como conheço o balé original de trás para a frente, me permiti um ir e vir dentro dele e fiz uma bagunça proposital", contou Décio Otero, coreógrafo que fundou e dirige o Stagium em parceria com Márika Gidali. "É uma leitura nossa, muito lúdica, desprendida, debochada até. Só para dar uma ideia, a música que abre a dança indiana é a da novela O Caminho das Índias."

Otero conta que misturou composições de Hélio Ziskind, René Aubri, Yan Tier Son, Mutinho e Toquinho com a trilha original de Tchaikovsky e que a miscelânea se estende também para os figurinos. "Reutilizamos o possível do acervo do Stagium, colocando em cena roupas criadas para outras produções nossas. Tem figurino de Patrício Bisso, de Márcio Tadeu, e só fizemos novos para alguns trechos, como o da famosa Valsa da Flores."

Nesta "Brincadeiras Natalinas", quem narra a história da festa de Natal na qual Clara ganha um quebra-nozes que a leva para um mundo mágico é um menino (Márcio Tadeu). No roteiro, há monstros, castelo mal-assombrado, noivas fantasmas, boliche, xaxado. "É um espetáculo instigante, cheio de surpresas. Pensa-se que ele vai pra um lado e vai pra outro, inesperado. Retomamos o dançar nas pontas, que há tempos não fazíamos, sem nenhum preconceito e sem buscar fazer o balé original. E como o elenco é excelente, tudo está muito bem dançado", diz Otero.

"Brincadeiras Natalinas" começou quatro meses atrás, como encomenda de um espetáculo para estrear em dezembro na cidade de Araras e, há poucos dias, o projeto foi cancelado. "Infelizmente, o projeto original furou. Veio dele esse impulso, pois sozinho não faria essa opção, e acabei gostando demais de fazer." São 32 bailarinos em cena, ensaiados por Áurea Ferreira, e o desenho de luz é de Marcelo Jannuzzi e Décio Otero. Mantendo a coerência de 38 anos de percurso, o Stagium anuncia que a nova produção faz parte do objetivo de não ser estrangeiro em sua própria terra. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Brincadeiras Natalinas . Teatro Sérgio Cardoso. Rua Barbosa, 153. Tel. (011) 3251-5122. 5.ª a sáb., 21h; dom., 18h. R$ 20.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.