A frente fria que já está no litoral baiano ganhará força nos próximos dias. Uma nova frente fria avança rapidamente pelo litoral da região sudeste do País e amanhã chega ao litoral da Bahia.

A capital baiana, que já sofre com transtornos provocados pelas tempestades das últimas semanas, também terá mais chuva por conta desta nova frente fria. As nuvens vão ficar carregadas de novo e o risco de chuva forte vai aumentar. Hoje, o tempo fica instável no Recôncavo e na região de Paulo Afonso.

No mar, os fortes ventos moderados deixam o mar agitado e dificultam a saída das embarcações em todo o litoral. A Capitania dos Portos recomenda não sair para alto mar, pelo menos até amanhã. Na sexta-feira, a chuva e o céu nublado ainda devem predominar. A frente fria começa a se afastar do litoral baiano a partir no sábado, mas chuvas fortes e rápidas vão continuar.

Uma boa notícia está reservada para o sul dos Estados do Maranhão e Piauí. Uma massa de ar seco avança para a região e, no sábado, vai inibir a formação de nuvens carregadas por vários dias. A expectativa é de que finalmente o sul do Maranhão comece o seu período seco. Em contrapartida, as pancadas de chuva devem continuar por quase todo o Maranhão até o fim de maio. Os dois Estados também foram fortemente atingido pelas enchentes nas últimas semanas.

O volume de chuva acumulado em maio já superou a média normal para o mês em muitas áreas do Nordeste. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia, a região de Imperatriz (MA) já acumulou 200 milímetros este mês, volume quatro vezes maior do que o normal. A média de chuva em maio é de 55 milímetros. Em Carolina, no sul do Estado, a média de chuva para maio é de 52 milímetros, mas este mês já choveu quase 240 milímetros.

A chuva excessiva vem causando transtornos e perdas também na agricultura do sul do Maranhão, região produtora de soja. A lama e os rios cheios dificultam a entrada nos campos, atrasando a colheita. O Maranhão é o Estado do Nordeste com maior número de municípios prejudicados pela chuva. Dos 217 municípios maranhenses, 88 estão em situação de emergência.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.