Bafômetro flagra motorista que usou anti-séptico bucal

SÃO PAULO - Uma blitz realizada por homens do Batalhão de Trânsito da Polícia Militar, entre a noite de ontem e a madrugada de hoje, flagrou até mesmo um motorista que havia utilizado, uma hora antes, um anti-séptico bucal que contém álcool.

Agência Estado |

O carro de um bancário, de 25 anos, foi parado em um bloqueio no cruzamento da Rua dos Timbiras com a dos Andradas, na região central de São Paulo. Ele ia encontrar amigos em uma festa.

Eu não bebo, não fumo e não uso drogas. Fiquei surpreso com o resultado do bafômetro, contou. O equipamento acusou 0,01 miligrama de álcool por litro de ar expelido - o limite aceito pela nova lei, que começou a valer na sexta-feira, é 0,1.

Como estava dentro da tolerância permitida, o bancário foi liberado. Daqui para a frente, vou usar um produto sem álcool.

Aparelhos descartáveis
A Polícia Militar vai recorrer até mesmo a bafômetros descartáveis, nunca antes usados. O objetivo é fechar o cerco nas blitze e atender à lei federal, que determina tolerância zero para o comportamento recorrente de beber e dirigir.

Atualmente, a corporação conta com 11 etilômetros, aparelhos digitais para a detecção de álcool no organismo. São suficientes para a fiscalização na capital, mas teremos um reforço de 40. Na falta dos aparelhos, vamos usar os bafômetros descartáveis, que ficam de stand by, disse o tenente do 34º Batalhão (Trânsito) Sérgio Marques, responsável pela coordenação das blitze 'Direção Segura'. As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

Leia mais sobre: lei seca

    Leia tudo sobre: lei-seca

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG