Servidor público é afastado na Bahia por guardar material pornô em site oficial

Arquivos, que estavam desprotegidos e foram encontrados por internautas, incluíam imagens de mulheres nuas e sexo com animais

Thiago Guimarães, iG Bahia |

Reprodução
Imagem do diretório do servidor da Bahia: ele estava desprotegido e foi descoberto por usuários
Um funcionário do Inema (Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos), órgão ambiental da Bahia, foi afastado de suas funções nesta quarta-feira (29) sob suspeita de ter hospedado arquivos pessoais, que incluíam material pornográfico, em um site do governo do Estado.

O material, como músicas, imagens de mulheres nuas e até vídeos de suposta zoofilia (sexo com animais), foi hospedado em um diretório do site do Ingá (Instituto de Gestão das Águas e Clima), órgão extinto neste ano e fundido no Inema.

Como o material não estava protegido, usuários da internet puderam acessá-lo e o episódio passou a ser comentado em redes sociais, como o Twitter. O nome do funcionário aparecia no diretório.

A Prodeb (Companhia de Processamento de Dados do Estado da Bahia) confirmou que a hospedagem dos arquivos se deu mediante uso de conta e senha de usuário interno, e não por ataque de hackers, por exemplo.

Diante das suspeitas, o Inema informou que o site do Ingá foi temporariamente retirado do ar e que abriu sindicância para apurar os fatos. O funcionário foi afastado de suas funções até o final da investigação.

    Leia tudo sobre: BahiaSalvadorpornografia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG