Cinco soldados acusados de participar da greve da PM em fevereiro fazem greve de fome para pressionar Justiça a julgar pedidos de habeas corpus

selo

Cinco soldados da Polícia Militar (PM) presos no 2º Batalhão de Ilhéus, no litoral sul da Bahia, acusados de participar da greve da corporação no Estado - realizada no início de fevereiro -, entraram em greve de fome na manhã de quarta-feira (14) para pressionar a Justiça a julgar os pedidos de habeas corpus feitos pelo advogado que os representa.

No carnaval: Com policiamento reduzido, Salvador tenta entrar na rotina do carnaval

Fim da greve: Pressão popular colaborou para fim de greve na Bahia

Presidenta: Dilma diz que é contra a anistia a PMs grevistas

De acordo com ele, o prazo de prisão preventiva dos policiais, que seria de 30 dias, venceu na última terça-feira. Segundo o Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), porém, não existe um prazo determinado para cumprimento de prisão preventiva.

Veja imagens da greve em fevereiro:

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.