Polícia prende médico que falsificava atestados de óbito na Bahia

Dois funcionários da funerária responsável pela emissão dos documentos também serão autuados

AE |

selo

A Polícia Civil da Bahia prendeu nesta sexta-feira um médico suspeito de participar de um esquema de falsificação de atestados de óbito. O clínico Ubirajara Jorge Muniz da Silva será indiciado por falsidade ideológica qualificada. Dois funcionários da funerária responsável pela emissão dos documentos também serão autuados.

Intimado a comparecer à delegacia para prestar esclarecimentos, o médico negou as acusações. Um laudo grafotécnico do Departamento de Polícia Técnica (DPT) confirmou, entretanto, ser dele a assinatura em um dos atestados falsos, segundo afirmou a delegada Marta Monteiro, da Delegacia de Crimes Econômicos e Contra a Administração Pública (Dececap).

Ubirajara Jorge, que se negou a fazer um exame grafotécnico, com o objetivo de comparar as assinaturas dos atestados falsos com a dele, só compareceu à Dececap após determinação da Justiça. O médico permaneceu em silêncio durante todo o interrogatório.

Apesar da recusa, o médico assinou o termo de interrogatório, permitindo assim que os peritos do DPT comparassem esta assinatura com as existentes nos atestados falsos e elaborassem o laudo, concluindo que elas foram feitas pela mesma pessoa. Ubirajara Jorge já responde a um processo administrativo no Conselho Regional de Medicina da Bahia (Cremeb). 

    Leia tudo sobre: bahiaatestado de óbitomédico

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG