As causas do acidente que deixou sete pessoas mortas vão ser apuradas pela Delegacia de Proteção ao Turista de Porto Seguro

A Polícia Civil da Bahia abriu inquérito para apurar o acidente com helicóptero ocorrido na última sexta-feira (17) em Porto Seguro (extremo sul do Estado) e que deixou sete mortos.

A apuração, instaurada no dia do acidente, é conduzida pela Delegacia de Proteção ao Turista de Porto Seguro. O helicóptero era pilotado pelo empresário Marcelo Mattoso de Almeida, que levava turistas para o Jacumã Ocean Resort, em Trancoso, distrito do município baiano. A queda ocorreu durante a noite, e suspeita-se que o tempo chuvoso tenha contribuído para o acidente.

Leia mais sobre o caso: Helicóptero que caiu não deve ser usado à noite e com chuva, diz especialista

O delegado Ricardo Feitosa, responsável pelo inquérito, já ouviu cinco testemunhas do acidente. “Nos cinco primeiros dias após a tragédia ouvimos pessoas que escutaram o barulho do helicóptero sobrevoando a praia, o estrondo do acidente, bem como testemunhas que auxiliaram no resgate da tripulante Fernanda Kfuri à beira mar”, informou o delegado, em nota divulgada pela polícia baiana.

Corpo de 7º vítima é encontrado em praia na orla norte de Porto Seguro
Futura Press
Corpo de 7º vítima é encontrado em praia na orla norte de Porto Seguro

Os passageiros do helicóptero integravam um grupo que estava com o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), para comemorar no resort o aniversário do empreiteiro Fernando Cavendish, dono da Delta Construções. Entre as vítimas estão Mariana Noleto , que era namorada de um dos filhos do governador.

Após o acidente descobriu-se que o piloto e empresário Mattoso de Almeida estava com a licença para pilotar vencida . A suspeita é que ele tenha fornecido o número do brevê de outro piloto, que havia contratado recentemente, à torre de controle do aeroporto de Porto Seguro.

Resgatada com vida, Fernanda Kfuri não resistiu aos ferimentos. Era irmã de Jordana Kfuri Cavendish , mulher do empreiteiro Fernando Cavendish e que também morreu no acidente. As outras vítimas foram os filhos de Fernanda e Jordana, de dois e três anos, e a babá das crianças.

A Polícia Civil da Bahia informou que aguarda laudos da Aeronáutica - órgão responsável pela perícia técnica - para prosseguimento da investigação. A estimativa é que a Aeronáutica retire o helicóptero do fundo do mar – a cabine já foi localizada – até a próxima terça-feira (28). Já os trabalhos de buscas pelas vítimas foram encerrados nesta terça-feira (21), com a localização e identificação do corpo de Jordana Cavendish.

Outros elementos que a polícia aguarda são os laudos das necropsias realizadas nos corpos das vítimas, que devem apontar as causas das mortes. “A polícia só vai se pronunciar sobre a possibilidade de ter havido responsabilidade criminal na queda do helicóptero após a conclusão do inquérito”, informou o delegado.

null

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.