Na Bahia, professor tem aula com Centro Holístico de Terapia

Prefeito de Castro Alves, no interior do Estado, contratou serviço, sem licitação, e pagou R$ 78,1 mil por 40 horas de aula

Thiago Guimarães, iG Bahia |

Um prefeito do interior da Bahia é alvo de denúncia do Ministério Público por ter contratado, sem licitação, os serviços de um centro especializado em práticas como esoterismo, regressão e vidas passadas.

O Centro Holístico de Terapia foi contratado em 2009, sem realização de licitação, pela Prefeitura de Castro Alves, cidade de 25 mil habitantes a 192 km de Salvador. Recebeu R$ 78,1 mil por um trabalho de formação continuada, com duração de 40 horas, a 615 profissionais da rede municipal de educação.

Reprodução Google Maps
Castro Alves fica a 192 quilômetros de Salvador
Para a promotoria, a dispensa de licitação não se justificou no caso, porque o objeto do contrato – formação de professores – não prevê serviços como os oferecidos pelo centro. O prefeito Cloves Oliveira (DEM) foi denunciado por dispensa ilegal de licitação, desvio ou aplicação indevida de verbas públicas e concurso material (dois ou mais crimes em uma ação).

De acordo com a denúncia, o centro contratado pela prefeitura tem entre seus objetivos a formação de grupos e aperfeiçoamento em filosofia, esoterismo, parapsicologia, relaxamento, auto-ajuda, auto-hipnose, regressão e vidas passadas. “O denunciado agiu de forma deliberada, com o objetivo definido de beneficiar o mencionado centro holístico, ação que configura utilização indevida de rendas públicas em proveito alheio”, afirma a denúncia.

Na Prefeitura de Castro Alves, a informação na manhã desta segunda-feira (2) era que o prefeito Cloves Oliveira estava em Salvador. Um assessor recusou-se a informar o celular do prefeito à reportagem. Informou que iria transmitir o recado, mas não houve resposta até as 14h. A reportagem não conseguiu contato com o Centro Holístico de Terapia.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG