Na Bahia, alunos protestam contra ônibus mais caro do Nordeste

Estudantes de Salvador paralisaram oito pontos da capital. Tarifa a R$ 2,50 consome cerca de 15% do orçamento de morador da cidade

Thiago Guimarães, iG Bahia |

Estudantes de Salvador promoveram nesta segunda-feira (7) mais um dia de protestos contra o aumento na tarifa de ônibus na cidade. O preço da passagem passou de R$ 2,30 para R$ 2,50 no ultimo dia 2 de janeiro, reajuste de 8,7%.

Com o aumento, a passagem de ônibus em Salvador se manteve como a mais cara entre as capitais da região Nordeste. Considerando a renda média domiciliar per capita do município calculada pelo IBGE, de R$ 801/mês, o transporte consome 15% do rendimento do morador que toma dois ônibus por dia, de segunda-feira a sábado.

Divulgação
Estudantes fecharam diversos pontos da cidade para protestar contra tarifa a R$ 2,50
Os manifestantes planejaram atos em oito pontos de Salvador. O de maior público reuniu, segundo os organizadores, cerca de 150 estudantes na estação da Lapa, principal terminal rodoviário da cidade.

Estudantes chegaram a impedir o tráfego de ônibus no local durante parte da manhã, causando retenções no trânsito.

Os estudantes de Salvador vem realizando protestos contra o aumento desde o início de janeiro. Dizem considerar o reajuste abusivo, por ter superado a inflação de 2010 medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), de 5,9%.

Embora os protestos desta segunda (7) tenham reunido menos gente do que esperavam, os organizadores dizem que vão manter a mobilização, que recebeu o nome de “Exu Tranca Ruas” e “Revolta do Buzu”.

“A manifestação foi vitoriosa. Reunimos menos gente porque o início do ano letivo nas escolas públicas teve poucos alunos”, afirmou o presidente da Ages (Associação de Grêmios e Estudantes de Salvador), Anderson Alves, 20 anos.

Para o líder estudantil, o reajuste desconsiderou a situação socioeconômica da população local. “O povo não tem dinheiro no bolso para pagar R$ 5 por dia de passagem”, disse.

A pauta de reivindicações dos estudantes inclui o cancelamento do reajuste e o congelamento da tarifa por dois anos, além da substituição do sistema de meia passagem estudantil vigente na cidade para passe livre.

Morros de Salvador

Para a Setin (Secretaria Municipal dos Transportes e Infraestrutura), a comparação nacional de tarifas não leva em conta especificidades da capital baiana, como a topografia acidentada que acelera a deterioração da frota e eleva gastos com combustível.

A secretaria diz ainda que a administração investiu em segurança e em acessibilidade, instalando câmeras em todos os veículos e equipamentos para deficientes físicos em 36% da frota.

Segundo o órgão, a planilha de custos apresentada pelas empresas previa aumento de 18%, para R$ 2,73, e que a prefeitura trabalhou para reduzir o aumento ao mínimo necessário.

Afirmou ainda que diversas cidades reajustaram as tarifas do transporte neste início de ano e que as empresas do setor em Salvador, diferentemente das de outros municípios, como São Paulo, não recebem subsídios do poder público.

    Leia tudo sobre: BahiaSalvadorônibusprotestos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG