Ministro da Justiça diz que pode enviar mais homens da Força Nacional à Bahia

José Eduardo Cardozo considera que a situação na Bahia está 'sob controle'; até o momento 4 mil homens reforçam a segurança no Estado

Agência Brasil |

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse nesta segunda-feira que, se necessário, enviará mais homens da Força Nacional de Segurança à Bahia por causa da greve dos policiais militares, que já dura seis dias. Até o momento, cerca de quatro mil homens das Forças Armadas, da Força Nacional de Segurança e da Polícia Federal estão no Estado, sob comando do general do Exército, Gonçalves Dias.

“Se ele [general Gonçalves Dias] achar necessário elevar o efetivo, nós prontamente atenderemos. Ele receberá o efetivo adicional que entender ser necessário”, disse Cardozo.

Para o ministro, a “situação na Bahia está sob controle”. “Temos tropas suficientes para garantir a ordem pública. Não há nenhuma razão para pânico. Não tenho a menor dúvida que até o carnaval estará tudo perfeitamente resolvido. O Estado brasileiro é seguramente mais forte do que certos grupos de maus policiais que resolveram achar que o atendimento às suas reivindicações deve passar por atos de violência e intimidações”.

No entanto, o clima nesta segunda foi de insegurança na capital baiana. Vários órgãos da Justiça não funcionaram ou encerraram o expediente mais cedo. Escolas públicas e particulares e várias lojas do comércio também não abriram as portas.

Homens do Exército cercam a Assembleia Legislativa , onde policiais militares grevistas ocupam o local desde a semana passada. O número de homicídio na Bahia passa de 80, desde o início da greve.

    Leia tudo sobre: greve da pmbahiahomicídiossaquessalvadorsegurançajosé eduardo cardozo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG