Lotação faz cemitério de Salvador suspender enterros

Quinta dos Lázaros responde por 55% dos sepultamentos na capital baiana

Thiago Guimarães, iG Bahia |

Por falta de espaço para sepultar corpos, o maior cemitério de Salvador suspendeu enterros em covas rasas até o dia 1º de outubro. O serviço é prestado gratuitamente pelo governo do Estado.

O cemitério da Quinta dos Lázaros, no bairro da Baixa de Quintas, foi criado no ano de 1785. Com 52,5 mil metros quadrados, o equivalente a cerca de sete campos de futebol, possui área construída de 19,2 mil m2, dos quais apenas 6.000 metros quadrados estão disponíveis para sepultamentos.

O cemitério realiza cerca de 7.000 enterros por ano, e conta hoje com 8.000 covas disponíveis. A suspensão temporária de enterros é realizada desde 2007, como medida para evitar superlotação. Vale para sepultamentos de adultos em covas rasas (de chão), enquanto corpos de indigentes e crianças de até três anos continuam sendo enterrados em espaços específicos.

Divugação
O cemitério da Quinta dos Lázaros, no bairro da Baixa de Quintas, foi criado no ano de 1785

“A idéia é que no futuro não tenhamos mais paralisações, por isso fazemos essa programação”, afirmou o administrador do cemitério, Manolo Dominguez.

Em outra ação para garantir a utilização do cemitério, corpos enterrados em covas rasas permanecem nos locais por apenas dois anos – ao fim do período, os restos mortais são retirados para cremação, ou entregues à família em caso de solicitação. O cemitério conta ainda com carneiros (gavetas), administrados por irmandades religiosas, e jazigos particulares.

    Leia tudo sobre: BahiaSalvadorcemitérioQuinta dos Lázaros

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG