Segundo diretor regional de associação, aeronave do acidente não opera por instrumentos, apenas visualmente

Peça do helicóptero que caiu no mar no sul da Bahia foi encontrado boiando no mar
Futurapress
Peça do helicóptero que caiu no mar no sul da Bahia foi encontrado boiando no mar
O modelo de helicóptero que caiu na última sexta-feira (17) no litoral sul da Bahia não foi projetado para voar à noite e em condições climáticas desfavoráveis. A avaliação foi feita ao iG pela Associação Brasileira de Pilotos de Helicópteros. O acidente aéreo ocorreu no trajeto entre Porto Seguro e o Jacumã Ocean Resort, deixando seis mortos e um desaparecido.

Leia também: Empresário pilotou helicóptero do Rio à Bahia antes do acidente

A viagem tinha a previsão de durar aproximadamente dez minutos. Na hora do acidente, no entanto, chovia fino, ventava e havia neblina na região, segundo aviso meteorológico emitido pela Marinha.

Para Gustavo Ozolins, diretor-regional da associação, o acidente poderia ter sido evitado se o voo pilotado pelo empresário Marcelo Mattoso de Almeida, de 48 anos, não tivesse sido feito à noite. Segundo ele, qualquer piloto experiente evitaria trafegar pela região da queda sem luz natural. O corpo do empresário foi encontrado no final da tarde desta segunda-feira (20).

“Era noite e esse modelo de aeronave é completamente visual. Ele não trafega por instrumentos. O piloto decolou em condições desfavoráveis. Para complicar a situação de Marcelo, o tempo estava muito ruim e chovia bastante, o que prejudica ainda mais a visibilidade”, avalia Ozolins.

De acordo com informações do site da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), o empresário possuía habilitação para pilotar o helicóptero Esquilo que caiu próximo à praia de Ponte de Itapororoca. A licença, no entanto, estava vencida há seis anos.

Em nota, a Aeronáutica informou que a investigação do acidente com o helicóptero de prefixo PR-OMO está sendo realizada pelo Segundo Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SERIPA 2), com sede em Recife (PE). De acordo com a Força, o inquérito deve ocorrer de forma reservada até a conclusão do relatório final.

Assista ao vídeo sobre o acidente:

Caso não consiga ver este vídeo, clique no link abaixo para assistir na TV iG:

Localizado 5º corpo de vítima de queda de helicóptero

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.