Grevistas promoveram terror para inviabilizar carnaval, mostram gravações

Líderes do movimento grevista da PM na Bahia e policiais no Rio acertavam atos de vandalismo e articulavam greves em outros Estados

iG São Paulo |

Em conversa gravada entre líderes do movimento grevista da Polícia Militar na Bahia e policiais do Rio de Janeiro, exibida no Jornal Nacional , da Rede Globo, na noite desta quarta-feira (8), foram revelados acertos para a realização de ações de vandalismo em Salvador e a ameaças de cancelar o Carnaval.

Prisco se rende: PMs grevistas deixam Assembleia em Salvador

Após gravações: Líder do movimento grevista dos bombeiros é preso no Rio

Além disso, outras gravações, também divulgadas pelo telejornal, indicaram articulações para a realização de greves em outros Estados, como Rio de Janeiro e São Paulo. Durante uma gravação, um cabo do Corpo de Bombeiros é orientado por uma mulher para que grevistas da Bahia não fechem acordo com o governo para que a greve no Rio não perca força.

Em uma das conversas o presidente de uma associação que reúne bombeiros e policiais baianos, Marco Prisco, filiado ao PSDB , combina uma ação de vandalismo.

Prisco pede para que uma rodovia federal seja fechada. Do outro lado da linha, um homem diz que vai queimar duas carretas na estrada Rio-Bahia. O líder grevista nega as acusações .

Leia o trecho:

Prisco: Alô, oi. Desce toda a tropa pra cá meu amigo. Caesg e você. Desce todo mundo para Salvador, meu irmão... Tou lhe pedindo pelo Amor de Deus, desce todo mundo para cá...

Homem: Agora?

Prisco: Agora, agora. Embarque...

Homem: Eu vou queimar viatura... Eu vou queimar duas carretas agora na Rio/Bahia que não vai dar tempo...

Prisco: fecha a BR aí meu irmão. Fecha a BR.

Outro lado: 'Não mandei que queimassem viatura e nem fechassem BR', diz líder grevista

Em outra conversa, o cabo do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro, Benevuto Daciolo, um dos líderes do movimento grevista da corporação no ano passado, fala sobre a votação da PEC 300, que estabelece piso nacional para os policiais, e deixa claro que o objetivo é estender a greve de policiais militares e bombeiros ao Rio de Janeiro, São Paulo e outros Estados para prejudicar o Carnaval.

Leia o techo:

Dacilolo: Pergunta ao senhor que é pessoa importantíssima a respeito da nossa PEC...pergunto: qual é a verdadeira possibilidade de nós conseguirmos passarmos em segundo turno na semana que vem? Não sei se o senhor sabe. Eu estou com uma assembleia Geral amanhã no Rio de Janeiro, com a abertura de uma greve geral no Rio também, com probabilidade de não ter Carnaval nem na Bahia nem no Rio esse ano. E São Paulo acho que está para dar uma resposta agora e os outros Estados também. Nós acreditamos que, se tivesse uma resposta do governo, assinalando numa possibilidade de votação no segundo turno da PEC, acalmaria muito, muito o que está acontecendo na Federação.

Em outro telefonema, Daciolo recebe a orientação de uma mulher para que o movimento grevista baiano não feche acordo com o governo, o que poderia enfraquecer uma possível greve no Rio de Janeiro.

Leia o trecho:

Mulher: Daciolo, Daciolo, presta atenção. Está errado fechar a negociação antes da greve do Rio...
Daciolo: Tudo bem, tudo bem... sabe o que vou fazer agora??? Ligue para ele que eu vou embora daqui, não vou ficar mais aqui.

Mulher: Eles não querendo que você avalize um acordo antes da greve do Rio. Depois da greve do Rio, muda tudo. Sabe como você vai ajudar eles? Voltando para o Rio, garantindo aqui. O governo vai fazer uma propostinha rebaixada para vocês, vai melhorar um pouquinho esse negócio que eles colocaram. E acho...se vocês garantirem a greve aqui, a mobilização aqui, vocês vão ajudar eles a liberar o Prisco, a ter uma negociação...


    Leia tudo sobre: greve pmbahiario

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG