Com água contaminada, Salvador prevê epidemia após carnaval

Das amostras coletadas em camarotes nos últimos dias, 60% estavam fora dos padrões. Índice chega a 80% em restaurantes

Thiago Guimarães, iG Bahia |

A maior parte da água consumida em hotéis, restaurantes e camarotes do carnaval de Salvador está imprópria para consumo, com baixo teor de cloro e alta concentração de bactérias como Escherichia coli , presente nas fezes. Este é o primeiro ano em que a prefeitura fiscaliza a qualidade da água consumida no carnaval da cidade.

O resultado, afirma a Vigilância em Saúde Ambiental da Prefeitura de Salvador, é o provável aumento, após a festa, nos casos de infecções intestinais.

Das 15 amostras de água coletadas em camarotes nos últimos três dias, 60% estavam fora dos padrões para consumo. O índice chegou a 70% entre 16 amostras de hotéis e pousadas e a 80% em bares e restaurantes.

“A contaminação ocorre porque esses locais colocam a água tratada em reservatórios sem assepsia e com ligações sem higienização”, afirmou Lourenço Oliveira, coordenador da Vigilância em Saúde Ambiental da prefeitura.

Houve 32 notificações a estabelecimentos que mantinham água imprópria para consumo. Os locais, segundo a prefeitura, serão interditados caso não solucionem os problemas.

Segundo Oliveira, cerca de 80% dos casos de internações registrados após o carnaval em Salvador são decorrentes do consumo de água contaminada. “Nosso trabalho é para tentar reduzir essa sobrecarga nos hospitais”, disse.

    Leia tudo sobre: bahiasalvadorcarnavaláguacontaminação

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG