A ação foi presenciada por dezenas de pessoas, entre elas vários proprietários dos veículos atingidos

selo

No final da tarde de sábado, 10, um homem danificou sozinho 42 carros. Testemunha do ocorrido, o jornalista Rodrigo Lago, 30 anos, conta que três ou quatro seguranças, que ele acredita que sejam contratados pelo Yatch Club da Bahia, assistiram à ação de Everaldo Santos Silva.

O ataque de fúria incontrolável deveu-se ao fato de o carro de Everaldo, um Ford EcoSport novo, ter sido alvo de assaltantes, que levaram o seu aparelho GPS e o som do automóvel. Everaldo, que tinha ido à praia, saiu destruindo todos os carros que encontrava pela frente, estacionados nas imediações do clube.

Segundo o delegado titular da 14ª Delegacia, João Cavada, para onde ele foi levado por policiais militares, 19 desses veículos - entre eles um Land Rover e um Honda Civic - sofreram grandes avarias.

Na delegacia, Everaldo se apresentou como sendo fiscal de obras. Segundo o delegado, trata-se de um homem franzino, moreno, de pouco mais de 30 anos. "Ele já chegou aqui mais calmo", disse o delegado, enquanto o jornalista Rodrigo Lago tentava entender a razão de os seguranças, de compleição física bem mais avantajada que a de Everaldo não terem tentado detê-lo, limitando-se a assistir à cena.

A reportagem tentou ouvir a chefia da segurança do Yatch Club da Bahia, mas a resposta foi a de que estariam impossibilitados de falar a respeito.

A ação furiosa de Everaldo foi presenciada por dezenas de pessoas, entre elas vários proprietários dos veículos atingidos. Segundo o delegado, devido à presença dos seguranças, o lugar não é ponto de furto de veículo, e Everaldo costumava estacionar no local.

"Eu estava estacionando quando ele começou o quebra-quebra. Pela ordem, o meu carro seria o terceiro a ser arrebentado. Mas, quando ele levantou a pedra, percebeu que eu estava dentro do veículo. Eu pedi, olhando nos olhos dele, que, por favor, não fizesse aquilo, e ele me atendeu, virando-se para o carro seguinte, e seguiu em frente", conta Rodrigo, que permaneceu inerte, mediante o grande susto.

Ainda segundo o jornalista, o homem estava completamente fora de si, gritando que quebraria tudo. Após a ação, ainda com sintomas de descontrole, o acusado foi algemado e levado para a 14ª Delegacia. Depois de prestar depoimento, ele assinou um termo circunstancial e foi liberado.

Everaldo vai responder processo por danos materiais. Ele ainda se responsabilizará pelos reparos necessários aos veículos, casos os respectivos proprietários recorram à Justiça. Everaldo foi alvo também do revide das suas vítimas, que igualmente destruíram o seu carro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.