Mãe da criança explica que médico não errou e moradores da região fazem protesto pedindo o retorno dele ao posto

Agência Estado

Mãe da criança, a diarista Gilmara Santos (foto), porém, afirma que Molina não errou.
Luiz Tito/Ag. A Tarde/Futura Press
Mãe da criança, a diarista Gilmara Santos (foto), porém, afirma que Molina não errou. "Ele explicou que seria uma gota por quilo do meu filho"

Integrante do Programa Mais Médicos, do governo federal, o médico cubano Isoel Gomez Molina foi afastado nesta quarta-feira (20( das funções pela Secretaria de Saúde de Feira de Santana (BA). Molina é acusado de prescrever uma superdosagem de dipirona (analgésico e antitérmico) para um bebê de 1 ano e 10 meses. A criança, porém, não chegou a ser medicada na quantidade indicada por ele.

Conheça a nova home do Último Segundo

Mais de 70% dos brasileiros aprovam vinda de médicos estrangeiros, diz pesquisa

A denúncia de má atuação foi feita por outra médica da cidade, que atendeu o bebê numa policlínica e pediu para ver a receita que havia sido passada por Molina. No documento, o ele indica que sejam ministradas 40 gotas do medicamento ao bebê, de 10,2 quilos - quando o indicado na própria bula do remédio é que a dose deve ser de uma gota por quilo.

A receita foi levada à direção da unidade e repassada para a secretaria, que instaurou sindicância para apurar o caso, junto com a Secretaria Estadual e o Ministério da Saúde. As apurações, de acordo com o órgão, vão durar até 30 dias, período no qual Molina ficará afastado.

"Não é coragem, é dever", diz Dilma ao sancionar lei do Mais Médicos

Dilma pede desculpas por "imenso constrangimento" a médico cubano vaiado

A mãe da criança, a diarista Gilmara Santos, porém, afirma que Molina não errou. "Ele explicou que seria uma gota por quilo do meu filho, só errou na hora de escrever a receita", alegou, durante um protesto de moradores da região na frente do posto de saúde no qual o médico trabalha, pedindo o retorno dele, na manhã desta quinta-feira (21).

De acordo com Gilmara, como a febre do filho continuou após o uso do medicamento, ela decidiu procurar a policlínica. Segundo a secretaria municipal, trabalham na cidade 12 integrantes do Mais Médicos. O órgão ainda afirma que, por causa da ocorrência, eles passarão por um treinamento, no fim de semana, com profissionais do Sistema de Assistência Farmacêutica da cidade.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.