BA indeniza família de jornalista morto por policial

A família do jornalista Manoel Leal de Oliveira, fundador do jornal A Região, de Itabuna, cidade do extremo sul baiano, recebeu hoje do governador Jaques Wagner R$ 100 mil a título de indenização pelo seu assassinato, cometido por um policial em 14 de janeiro de 1998. Ele foi morto depois de o jornal publicar uma série de denúncias sobre irregularidades administrativas que estariam sendo cometidas na administração municipal, intermediadas por policiais.

Agência Estado |

A investigação revelou que crime foi cometido pelo ex-policial civil Monzar Castro Brasil, um dos beneficiários de um esquema de corrupção revelado pelo jornal. Ele foi condenado, em 2007, a 18 anos de prisão e demitido da Secretaria de Segurança Pública (SSP) em dezembro do ano passado.

Na mesma época, a Secretaria da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos da Bahia pediu à corregedoria a reabertura do inquérito para responsabilização dos autores intelectuais do crime - que não foram identificados. "A indenização não devolve a vida do jornalista, mas é um passo a mais contra a impunidade no Estado", disse Jaques Wagner, durante o ato que contou com a presença de dois filhos de Leal, Valéria e Marcel.

Segundo o governo baiano, a indenização pelo assassinato do jornalista é inédita no País e atende a uma recomendação da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH), da Organização dos Estados Americanos (OEA). O pagamento da quantia foi definido por projeto de lei aprovado pela Assembleia Legislativa no dia 30 de dezembro.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG