Avô de Isabella diz acreditar em inocência de casal

O advogado Antônio Nardoni, pai de Alexandre Alves Nardoni, disse hoje que se seu filho tivesse cometido o crime já teria entregue Alexandre à polícia. Com certeza ele já teria assinado sua confissão, afirmou.

Agência Estado |

"Acredito piamente na inocência do meu filho." Isabella, de 5 anos, neta de Antônio e filha de Alexandre, morreu no dia 29 de março após ser jogada pela janela do apartamento do pai, no 6º andar, na zona norte de São Paulo. Antônio Nardoni reiterou que acredita na inocência do filho e de Anna Carolina Jatobá, madrasta de Isabella.

"Eles não teriam nenhum motivo para isso, eles adoravam a menina e ela sempre quis morar com eles", afirmou. O pai de Alexandre falou à imprensa no 9º Distrito Policial (DP), no Carandiru, também na zona norte, onde sua mulher, Maria Aparecida Alves Nardoni, prestou depoimento hoje. Ela chegou acompanhada por um advogado, pela porta dos fundos, e não falou com a imprensa. Antônio confirmou que irá depor no sábado e disse desconhecer o conteúdo da oitiva de sua esposa.

Antônio Nardoni reafirmou sua opinião de que uma terceira pessoa teria entrado no prédio e cometido o crime. "Tenho certeza de que mais alguém poderia ter entrado no apartamento." O pai rebateu informações do depoimento de Ana Oliveira, mãe de Isabella, e negou que o filho fosse agressivo com os filhos ou que tivesse jogado uma das crianças no chão durante uma briga, conforme descrito em depoimento da mãe. "Eu, que sou avô, nunca vi nada disso. Ana não vivia lá, portanto não pode afirmar que houve maus-tratos."

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG