Avião que caiu na Amazônia está submerso em igarapé

MANAUS - O Major-Brigadeiro, Jorge Cruz de Souza e Mello, comandante do 7º Comando Aéreo da Amazônia informou na noite desta sexta-feira, em Manaus, que a aeronave C-98 Caravan encontra-se submersa no Igarapé Jacurapá, na margem direita do Rio Ituí, no estado do Amazonas.

Agência Brasil |

Os sobreviventes do acidente foram encaminhados na tarde desta sexta-feira ao Hospital Geral do Juruá, em Cruzeiro do Sul, no Acre. De acordo com a assessoria do aeroporto, cinco mulheres e dois homens estão bem e saíram andando dos helicópteros.

A aeronave C-98 da FAB estava desaparecida desde a manhã de quinta-feira, mas foi localizada por volta das 9h40 desta sexta-feira. O Comando da Aeronáutica informou que o avião C-98 Caravan realizou um pouso forçado na manhã da quinta-feira no Igarapé Jacurapá, na margem direita do Rio Ituí, afluente do Rio Javari, estado do Amazonas.

"O piloto tem mais de mil horas de voo no Caravan e com certeza tomou a melhor decisão ao pousar no rio. Tudo indica que a aeronave está submersa cinco metros neste Igarapé", disse o Major-Brigadeiro.

Segundo informações da Funasa (Fundação Nacional de Saúde) e da FAB, das onze pessoas que estavam a bordo do avião, nove sobreviveram.

O Comando da Aeronáutica informou que o técnico da Funasa João de Abreu Filho e o suboficial Marcelo dos Santos Dias, mecânico do C-98 Caravan, ainda estão desaparecidos.

O local do acidente é uma área de mata fechada e de difícil acesso, o que dificultou o resgate dos nove sobreviventes. As operações de busca aos outros dois ocupantes desaparecidos continuam sendo realizadas e irão continuar ao longo da noite, se necessário.

Agência Estado
Os sobreviventes do acidente com o avião da Força Aérea Brasileira (FAB) em ambulância do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) ao serem encaminhados para o Hospital Regional do Juruá, em Cruzeiro do Sul, no Acre, na tarde de hoje, para receberem atendimento médico
Sobreviventes em ambulância do Samu ao serem encaminhados para o Hospital Regional do Juruá, em Cruzeiro do Sul, no Acre, na tarde desta sexta-feira, para receberem atendimento médico.

O trabalho de busca é executado por equipes de resgate da Força Aérea Brasileira (FAB) e do Exército Brasileiro que contam com oito aeronaves entre helicópterros e aviões. Mergulhadores da FAB foram acionados para ajudar nesta localização.

Indígenas da tribu Marubo também participam das operações de busca dos desaparecidos, fornecendo informações por meio de rádio amador, com auxílio da Fundação Nacional do Índio (Funai). Os três tripulantes resgatados moram em Manaus e devem retornar para a cidade ainda hoje. Os seis funcionários da Funasa, residem em Atalaia do Norte e Tabatinga e devem retornar as suas casas assim que forem liberados da avaliação médica. No momento, eles permanecem em Cruzeiro do Sul, no Acre, no Hospital Geral do Juruá.

Comunicação Social da Aeronáutica/Divulgação
asdfafd
Imagem de satélite da região onde o avião foi encontrado

Antes do acidente, a aeronave voava a 9 mil pés e emitou um sinal de alerta ao Salvaero, órgão da FAB responsável por operações de busca e resgate no país, 58 minutos após a decolagem de Cruzeiro do Sul, às 8h 30 no horário local. A dificuldade para localizar a aeronave, segundo Souza e Mello, ocorreu porque o sinal de alerta não informa o local onde a aeronave se encontrava.

Modelo C-98 Caravan

O modelo C-98 Caravan foi desenvolvido no início dos anos 80 nos Estados Unidos para transporte de pequenas cargas e passageiros em curtas distâncias. No Brasil, é utilizado desde 1987 em tarefas de apoio, utilitárias e de evacuação aeromédica. Também é usado pelo Correio Aéreo Nacional e em ações cívico-sociais do Exército.

Divulgação
Imagem de arquivo da FAB da aeronave C-98 Caravan
Imagem de arquivo da FAB de uma aeronave C-98 Caravan


Leia mais sobre C98-Caravan

    Leia tudo sobre: acidenteacidente aéreoacreamazonasfab

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG