Avião que caiu levava malas com dinheiro, diz delegada

Dólares e reais estavam em algumas malas encontradas na fuselagem da aeronave Bandeirante PT-SEA, que caiu sábado no Rio Manacapuru, no meio da viagem entre Coari e Manaus, deixando 24 mortos.

Redação com Agência Estado |

Em entrevista a uma rádio local, a delegada de Coari, Samara Fernandes de Amorim, afirmou que não se pode dizer ainda a quantidade de dinheiro encontrada, já que todas as bagagens estão retidas em uma sala da delegacia e devem ser periciadas pela polícia civil e federal. "Só amanhã é que devem ser liberadas às famílias", disse. A bagagem retida tem peso estimado de 150 quilos.

Nesta quinta-feira, chegaram a Manaus partes da fuselagem do avião, que serão analisadas por uma comissão de especialistas em segurança e prevenção de acidentes aéreos, formada por técnicos do Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa), da empresa Manaus Aerotáxi, da seguradora do avião e do fabricante da aeronave, a Empresa Brasileira de Aeronáutica S.A. (Embraer).

O material foi transportado por uma balsa, contratada pela Manaus Aerotáxi, que deixou o local do acidente na manhã de quarta-feira. Segundo a assessoria do Seripa, não há ainda uma previsão para a conclusão dos primeiros resultados sobre o acidente.

A queda

AE

O aparelho, um EMB-110 Bandeirante, caiu na tarde do último sábado

no rio Manacupuru, afluente do Amazonas, quando fazia um voo fretado

com 26 passageiros e dois tripulantes entre o município de Coari e Manaus.

Segundo autoridades aeronáuticas, o piloto do turboélice se comunicou com a torre de controle do aeroporto de Manaus para informar que enfrentava uma forte chuva e um problema técnico e que tentaria uma aterrissagem na região.

Minutos depois dessa comunicação, a torre de controle perdeu contato com a aeronave, cujo piloto aparentemente tentou fazer uma aterrissagem de emergência em uma pista abandonada da aldeia de Santo Antonio, pertencente ao município de Manacapuru, a 80 quilômetros de Manaus.

No entanto, o aparelho caiu no rio, de onde o serviço de resgate conseguiu recuperar com vida Ana Lúcia Reis, de 43 anos; Brenda Dias Moraes, de 21; Eric Evangelista da Costa, de 23, e Yan da Costa Liberal, de 9 anos.

Todos os sobreviventes viajavam na parte traseira do avião, disseram o Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil. Uma das sobreviventes explicou às autoridades que um dos motores falhou em pleno voo, por isso o piloto tentou fazer uma aterrissagem de emergência, mas caiu a 500 metros da cabeceira da pista.


Local do acidente

Leia também:

Leia mais sobre: acidente de avião

    Leia tudo sobre: acidente avião

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG