A Força Aérea Brasileira (FAB) autorizou na manhã de hoje a decolagem de um avião Brasília para o Suriname, onde um grupo de cerca de 80 brasileiros foi atacado. A aeronave leva dois diplomatas brasileiros - um assessor da Secretaria-Geral, especializado em apoio humanitário, e um outro, da Subsecretaria-geral das Comunidades Brasileiras no Exterior.

O avião deve pousar na capital, Paramaribo, por volta das 14 horas.

O Itamaraty identificou até agora nove brasileiros feridos durante um ataque por parte de surinameses, ocorrido na véspera do Natal, em Albina, distante cerca de 150 quilômetros a leste de Paramaribo. Porém, até o meio-dia, a informação da Embaixada do Brasil no Suriname é de que o ataque deixou 25 brasileiros feridos, sete em estado grave.

Não foi ainda confirmada a notícia de que brasileiros teriam sido mortos no ataque, embora o padre José Vergílio, que atende a comunidade local, tenha relatado a morte de pelo menos sete pessoas. Cerca de vinte mulheres brasileiras teriam sido vítimas de violência sexual, mas o Itamaraty não confirma essa informação. Disse apenas que foi identificada a brasileira que estava grávida e que teria perdido o bebê. Ela, de fato, foi ferida.

Conforme informações obtidas no Suriname, a confusão começou durante uma festa na noite do dia 24. Um brasileiro teria discutido e esfaqueado um surinamês, causando a sua morte. O brasileiro teria fugido. Depois da briga, um grupo de cidadãos do Suriname fez o ataque, com paus e facões, segundo os relatos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.