Avião da FAB ajuda a combater incêndios florestais no Distrito Federal

Aeronave Hércules irá auxiliar Corpo de Bombeiros a combater focos de incêndio que aumentaram devido ao tempo seco na região

Agência Brasil |

A Força Aérea Brasileira (FAB) vai ajudar os bombeiros do Distrito Federal a combater diversas frentes de incêndio que atingem as florestas da capital. A partir deste sábado, um avião Hércules C-130 estará despejando 12,8 mil litros de água a cada decolagem, nas áreas indicadas pelo Corpo de Bombeiros. No início da manhã, as equipes atuaram nos arredores do Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek.

“A área foi escolhida devido ao risco de o incêndio próximo às pistas prejudicar o tráfego aéreo. Em seguida, partiremos para as demais regiões afetadas, seguindo as orientações dos bombeiros”, explicou o porta-voz da operação, capitão Paulo Costa, da FAB.

Agência Brasil
Avião Hércules é visto sendo reabastecido com água na Base Aérea da FAB neste sábado

Após atuar na região do aeroporto, o Hércules ajudará no combate ao incêndio na Floresta Nacional, localizada nas proximidades da cidade-satélite de Brazlândia. “Apesar de a equipe de monitoramento pelo ar ainda não ter definido os pontos de incêndio a serem combatidos, a equipe em terra informou-nos que essa é a prioridade para os próximos sobrevoos”, disse o major Florindo, do Corpo de Bombeiros.

Segundo ele, os bombeiros contam com mais quatro aeronaves de menor porte. Uma delas é destinada a fazer monitoramento para identificar as regiões que terão prioridade. “Temos também dois helicópteros com cestas que servem para despejar água, e um avião com capacidade para o transporte de 3,1 mil litros. Eles são mais manobráveis do que o Hércules, que é usado para o combate a linhas de fogo mais extensas”, explicou o major.

A FAB tem, em todo o País, dois equipamentos que possibilitam o despejo de água ou retardante – substância feita à base de argila, água e alguns produtos químicos estabilizantes, usada em áreas ainda não incendiadas, com o objetivo de evitar o alastramento do fogo. Por enquanto, essa substância não pode ser usada porque aguarda liberação do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

    Leia tudo sobre: fabincêndiodistrito federaltempo seco

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG