Auxiliar de senador recorre ao STF contra demissão

O Supremo Tribunal Federal (STF) vai ter de se manifestar sobre as demissões de parentes ocorridas nesta semana no Senado. A primeira ação já deu entrada no tribunal.

Agência Estado |

Horas antes de ser exonerada, a ex-assistente parlamentar Taciana Pradines Coelho protocolou uma ação no STF. Com a ação, ela tenta afastar o risco de ser demitida do cargo pelo fato de ter uma irmã que também trabalha no Senado, mais especificamente na chefia de gabinete do senador Mário Couto (PSDB-PA).

Como a exoneração ocorreu em seguida, caberá à ministra relatora do caso no STF, Cármen Lúcia Antunes Rocha, decidir se a ação deve ser arquivada ou se pode ser analisado o pedido e eventualmente determinado ou não o retorno de Taciana para o gabinete do senador Eduardo Azeredo (PSDB-MA), onde ela trabalhava. Na ação protocolada no STF, Taciana afirma que a sua situação não configura nepotismo. A advogada argumenta que não entrou no Senado por influência da irmã, que já era servidora no Congresso. A defesa aponta que Taciana não foi nomeada pela irmã e que as duas não trabalham juntas. É provável que outros ex-funcionários do Senado demitidos recorram ao Supremo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG