Autoridades lamentam a morte de José Mindlin

Autoridades lamentaram, neste domingo, a morte do empresário e bibliófilo José Mindlin. Ele tinha 95 anos e morreu hoje de pneumonia, no Hospital Israelita Albert Einstein, onde estava internado há cerca de um mês.

iG São Paulo |

O senador José Sarney, integrante da Academia Brasileiras de Letras, classificou a morte de Mindlin como uma perda extraordinária. "Mindlin era um homem que tinha um amor pelos livros maior que todos os amores e foi um dos grandes incentivadores da cultura brasileira", expressou Sarney em nota.

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, classificou Mindlin como um "gigante da cultura brasileira. Como todo grande homem, deixa um grande legado, que é a Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin, o resultado de uma vida dedicada aos livros, que por sua generosidade hoje é um patrimônio de todos os brasileiros", afirmou em nota.

O presidente da Imprensa Oficial, Hubert Alqueres, se manifestou pela rede social Twitter. Jose Mindlin foi um exemplo de dignidade e coragem nos tempos de regime militar. Foi um dos poucos empresários que contestou a ditadura, escreveu.

O deputado federal Antônio Carlos Magalhães Neto também usou o Twitter para lamentar a morte de Mindlin, que ele classificou como um homem que dedicou sua vida à leitura e aos livros.

Carlos Eduardo Lima Jorge, diretor da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), classificou o bibliófilo como um marco na cultura brasileira. "Na área da Construção Civil teve importante papel ao estimular a formação profissional e os investimentos em tecnologia. Tive o prazer de ouvi-lo em reuniões da Fiesp. Era um homem de visão voltada para o futuro e para o social.  

*Com EFE

Leia mais sobre: José Mindlin

    Leia tudo sobre: mindlin

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG