Autoridade Palestina suspende punição contra Al-Jazeera na Cisjordânia

A Autoridade Palestina autorizou neste sábado à noite a reabertura do escritório da rede de TV via satélite Al-Jazeera em Ramallah (Cisjordânia), que tinha sido fechado na quarta-feira, informaram fontes da Al-Jazeera.

AFP |

"A Autoridade nos informou que podemos retomar nossas atividades", declarou à AFP, Walid al-Omary, diretor do escritório da Al-Jazeera em Ramallah.

A Autoridade Palestina, no entanto, denunciou o canal por difusão "de informações enganosas", esclareceu o Ministério palestino da Informação.

Este havia justificado a suspensão da rede de notícias, com sede no Qatar, devido ao fato de a Al-Jazeera "ter dedicado uma parte importante de seus programas a denegrir a OLP (Organização para a Libertação da Palestina) e a Autoridade Palestina".

Em um comunicado divulgado em Doha, a Al-Jazeera relacionou a punição palestina à difusão, na terça-feira passada, de uma declaração de Faruk Kaddumi, chefe do departamento político da OLP.

Em sua declaração, Kaddumi acusou o presidente palestino, Mahmud Abbas, e o dirigente Mohammed Dahlan de terem conspirado com Israel para assassinar, por meio de envenenamento, o líder histórico palestino, Yasser Arafat.

Yasser Arafat morreu no dia 11 de novembro de 2004 aos 75 anos em um hospital da região de Paris.

Vivendo em Túnis, Kaddumi é contrário aos acordos de Oslo de 1993, de mútuo reconhecimento entre Israel e a OLP. Nunca voltou aos territórios palestinos.

str-ms/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG