Ausência de professor afeta notas de aluno, diz pesquisa

Estudo publicado pela Secretaria de Estado da Educação comprova que o aumento da ausência em sala de aula dos professores da rede pública tem relação direta com o mau desempenho dos alunos. De acordo com a pesquisa, que ponderou as faltas entre abril de 2007 e dezembro de 2008, a cada ponto porcentual de aumento no índice de absenteísmo dos docentes da rede paulista, os estudantes da 4ª série do ensino fundamental perdem 7,5% na nota de língua portuguesa e 8,5% na de matemática.

Agência Estado |

Esses números foram obtidos por meio do cruzamento de dados das faltas dos professores com as notas médias das escolas estaduais em 2007.

Realizado pelo Laboratório de Idéias, criado pela secretaria para estudar os dados educacionais do Estado de São Paulo, o levantamento foi feito com estudantes da 4ª série do ensino porque os alunos que ainda estão iniciando sua vida escolar e sendo alfabetizados são mais dependentes do professor.

Ainda segundo a pesquisa, houve queda de cerca de 60% no número de faltas motivadas por atestados médicos. Para os pesquisadores, a lei aprovada pelo governo do Estado que limita em seis ao ano o número de ausências com pedidos médicos intimidou os professores com histórico de faltas. Entre maio e outubro de 2007, houve 398 mil faltas de professores nas escolas estaduais com apresentação de atestado médico. No ano passado, no mesmo período, foram 163 mil.

Para a secretária da Educação, Maria Helena Guimarães de Castro, os números positivos refletem uma política mais rigorosa do governo. Antes de a lei entrar em vigor, registrava-se cerca de 30 mil faltas diárias de professores amparadas em 19 dispositivos legais que garantiam que não houvesse desconto em folha de pagamento.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG