Aumento de calorias explica sozinho obesidade nos EUA, diz estudo

Uma pesquisa apresentada na última semana durante o 17º http://www.eurekalert.

Agência Estado |

org/pub_releases/2009-05/eaft-ifi050709.php" target=_blank Congresso Europeu de Obesidade, realizado em Amsterdã, revelou que o aumento da ingestão de calorias explica sozinho o ganho de peso da população nos Estados Unidos desde os anos 1970. A mudança de hábito nas práticas de atividades físicas têm um papel mínimo no desenvolvimento da epidemia de sobrepeso pela qual passa o país.

De acordo com Boyd Swinburn, diretor do Centro de Prevenção da Obesidade da Universidade Deakin (Austrália), muitas sugestões indicam que redução de atividade física - ou sedentarismo - e aumento de ingestão de calorias são as causas da obesidade. No entanto, diz ele, a proposta do estudo foi quantificar esses dois pontos. O objetivo era estimar qual seria o peso médio da população americana levando-se em conta só a ingestão de alimentos nos 30 anos. Os pesquisadores examinaram 1.399 adultos e 963 crianças para determinar quantas calorias seus corpos queimam em situações normais. Em seguida, uma análise verificou quanto os norte-americanos comem desde a década de 1970.

Segundo Swinburn, para que o peso médio retorne aos valores da década de 1970, seria preciso diminuir a ingestão calórica em cerca de 350 calorias por dia para crianças e em 500 calorias para adultos. Ele destaca que a atividade física é um importante fator para ajudar na redução da obesidade e que deve continuar a ser promovida por conta de diversos outros benefícios à saúde. Mas, o pesquisador diz que políticas públicas de saúde deveriam encorajar a população a comer menos.

AE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG