Veja, em pdf, a íntegra da Pnad http://ultimosegundo.ig.com.br/mauricio_stycer/2009/09/18/veja+o+retrato+do+brasileiro+medio+segundo+dados+divulgados+na+pnad+8508913.html target=_topVeja o retrato do brasileiro médio, segundo a Pnad http://ultimosegundo.ig.com.br/mauricio_stycer/2009/09/18/ha+dois+anos+nao+tinha+nada+nada+nada+nem+lugar+para+dormir+8508911.html target=_topHá dois anos, não tinha nada, nada, nada. Nem lugar para dormir" / Veja, em pdf, a íntegra da Pnad http://ultimosegundo.ig.com.br/mauricio_stycer/2009/09/18/veja+o+retrato+do+brasileiro+medio+segundo+dados+divulgados+na+pnad+8508913.html target=_topVeja o retrato do brasileiro médio, segundo a Pnad http://ultimosegundo.ig.com.br/mauricio_stycer/2009/09/18/ha+dois+anos+nao+tinha+nada+nada+nada+nem+lugar+para+dormir+8508911.html target=_topHá dois anos, não tinha nada, nada, nada. Nem lugar para dormir" /

Aumenta o número de pessoas morando sozinhas no Brasil, aponta a Pnad

De 2007 para 2008, o País manteve a tendência de ter cada vez menos pessoas por casa, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), divulgada nesta sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O número de residências com apenas um morador subiu de 11,5% para 12%. http://images.ig.com.br/publicador/ultimosegundo/arquivos/pnad.pdf target=_blankVeja, em pdf, a íntegra da Pnad http://ultimosegundo.ig.com.br/mauricio_stycer/2009/09/18/veja+o+retrato+do+brasileiro+medio+segundo+dados+divulgados+na+pnad+8508913.html target=_topVeja o retrato do brasileiro médio, segundo a Pnad http://ultimosegundo.ig.com.br/mauricio_stycer/2009/09/18/ha+dois+anos+nao+tinha+nada+nada+nada+nem+lugar+para+dormir+8508911.html target=_topHá dois anos, não tinha nada, nada, nada. Nem lugar para dormir

Redação |

Arquivo pessoal
A dentista desistiu do apartamento de 1 quarto
Flávia: perto do consultório

A dentista Flávia Guidin, de 28 anos, é um exemplo. Ela decidiu morar sozinha no segundo semestre de 2008. Passou cinco meses procurando apartamento de um quarto, sem sucesso. Não têm muitos apartamentos de um quarto para alugar nesta cidade [São Paulo]. Então, tive de alugar um maior, mais caro, reclama.

Hoje, Flávia vive sozinha no bairro Jaguaré, na zona oeste da capital paulista, a poucos minutos de seu consultório, em Osasco. Além da proximidade do meu trabalho, quis sair da casa de minha mãe para ter mais privacidade e liberdade, conta a jovem.

Em 2008, 12,8% dos domicílios das regiões Sul e Sudeste do País tinham apenas um morador e mais de um quarto dos domicílios tinham 3 pessoas. Os lares com até três pessoas tiveram crescimento em 2008 e, os com a partir de quatro, redução. A média no País ficou em 3,3 pessoas por domicílio e 3,1, por família.

A região Norte foi a que apresentou os indicadores mais elevados, com 3,8 pessoas por domicílio e 3,5, por família. Já a média na região Sul não chegou nem aos 3 habitantes e ficou em 2,9. Em seguida, está a região Sudeste, com 3,1 pessoas por domicílio.

iG
*Moradores

Sonho da casa própria

A Pnad revela ainda que o sonho da casa própria ficou um pouco mais próximo do brasileiro. O número de domicílios particulares alcançou 57.557 mil em 2008, totalizando 1.787 mil unidades a mais que no ano anterior. Os domicílios quitados representam 70,1% do total e, os em aquisição, 4,3%. Os imóveis alugados se mantiveram estáveis em 16,6%.

Segundo a analista do Pnad, Adriana Beringuy, o crescimento da aquisição da casa própria está ligado à oferta de crédito. "Além disso, em 2008, podemos perceber que o setor de construção foi o que mais empregou. Ou seja, o setor imobiliário estava muito ativo. Você tem mais ofertas de unidades e, do outro lado, a oferta de financiamento.

A designer Thais Terra e o relações públicas Rafael Borges fazem parte desta realidade. Financiamos a compra de uma casa de dois quartos, duas vagas na garagem e quintal com churrasqueira na Granja Viana, em Cotia [São Paulo], comemora Thais. O crédito foi aprovado na última quinta-feira pela Caixa Econômica Federal. O casal deu R$ 35 mil de entrada, o equivalente a 20% do valor total da casa, e deve pagar prestações que começam em R$ 1.400 e terminam em R$ 600 em 30 anos. O FGTS também foi utilizado para amortizar a dívida.

Foi bem fácil, apesar de eu não ser registrada. Foi só comprovar a nossa renda com extrato do banco, explica Thais. Como a renda somada do casal é maior que 30% do valor da prestação, a aprovação veio rápido. Hoje, eu pago R$ 1000 de aluguel e condomínio. Então, nossas despesas com moradia vão aumentar só R$ 400, e teremos uma casa própria, calcula.

Veja os principais dados da Pnad 2008:

Leia mais sobre: Pnad

    Leia tudo sobre: casapessoaspnad

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG