Aulas de cerâmica viram terapia para estressados

Nos ateliês de cerâmica, profissionais liberais e executivos encontram um novo jeito de desestressar e de dar asas à criatividade. Alguns chegam lá espontaneamente. Outros são levados por grandes empresas que incluem as aulas de modelagem e pintura em workshops realizados fora do ambiente de trabalho.

Agência Estado |

As pessoas acham que tudo na vida é instantâneo. Aqui elas entram em contato com uma forma lenta de trabalho, em que o resultado final depende de uma série de etapas, diz Lúcia Eid, artista plástica e proprietária da Olaria Paulistana, uma mistura de ateliê e escola.

Trabalhar com cerâmica é, sim, um verdadeiro treino de paciência e uma forma de relaxar, usar a criatividade. Depois de moldada, a peça demora 15 dias para secar e ir ao forno. Só então, o aluno pode pensar em pintá-la. E não adianta ter pressa, pois, se pular alguma etapa, a peça quebra, explica Lúcia. Mas não é só isso. Durante todo o processo, surgem muitas vezes imprevistos, como uma fissura na argila. Daí, há de se ter jogo de cintura para conseguir transformar um defeito em efeito especial. O exemplo é usado pelas empresas que querem criatividade dos funcionários na hora de resolver problemas.

Sempre achei que aprender cerâmica era coisa de mãe, assim como tricô e corte e costura, diz Ana Paula Delgado, de 40 anos, gerente de Produtos da Roche. Uma amiga me chamou para fazer uma aula sem compromisso. Eu resisti um pouco, mas, quando fui, achei o máximo. Fiz coisas tão legais que me surpreendi. Na aula seguinte comprei a mala e o avental. O espaço também é muito relaxante, diz ela.

A maioria das escolas promove cursos de uma aula por semana, com três horas de duração. As aulas de artesanatos atraem um público diferente do passado, como profissionais liberais e executivos, que encontram na arte uma forma de relaxar. O perfil de alunos é variado, mas a maior parte dos grupos é de mulheres, diz Ligia Catunda, ceramista que ensina em seu ateliê, na Pompéia, zona oeste de São Paulo. As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

Leia mais sobre: cerâmica

    Leia tudo sobre: cerâmica

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG