Auditoria em terceirizadas no Senado recomenda revisão de valores de contratos

Brasília - Auditoria realizada a pedido do primeiro-secretário do Senado, Heráclito Fortes (DEM-PI), em contrato com empresas que prestam serviços terceirizados ao Senado, recomendou que os contratos com as empresas Aval, Fiança, Delta Engenharia e Ágil tenham, entre outros pontos, os valores revistos ou a não prorrogação dos serviços.

Agência Brasil |

Todos os contratos analisados foram assinados na gestão do ex-diretor-geral do Senado Agaciel Maia, afastado após denúncias de corrupção, e do senador Efraim Morais, quando comandava a 1ª Secretaria. Ao todo, os contratos para a prestação de serviços de limpeza, segurança, manutenção de sistemas elétricos, somam R$ 13 milhões.

No contrato com a empresa Fiança Serviços Gerais Ltda., os auditores encontraram, entre outras irregularidades, a falta de projeto básico ou ausência de aprovação do projeto básico, e alteração contratual não prevista no edital. Em relação à Aval Serviços Especializados Ltda., os auditores pediram a redução do contrato, no valor de R$ 2,3 milhões, por ano, para R$ 996 mil no mesmo período.

No caso da empresa Delta Engenharia, que presta serviço de manutenção preventiva, a recomendação é para que o Senado não prorrogue o contrato de R$ 5,6 milhões, já encerrado no mês passado. Os auditores também recomendam à 1ª Secretaria a não renovação do contrato com a empresa Ágil Empresa de Vigilância Ltda.

No final de semana, o ex-diretor de Recursos Humanos do Senado João Carlos Zoghbi afirmou à revista Época que Agaciel Maia teria participação acionária em todas as empresas que prestam serviços terceirizado ao Senado. Além disso, acusou, além de Efraim Morais, o senador Romeu Tuma (PTB-SP), de participação no esquema de corrupção comandando pelo ex-diretor. Tuma também já foi titular da 1ª Secretaria.

Por Ivan Richard

    Leia tudo sobre: heráclito fortesjoão carlos zoghbisenado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG