O índice de atrasos nos aeroportos de todo o País foi alto hoje, um dia após a queda de energia elétrica que atingiu o Sistema Regional de Proteção ao Vôo dos terminais de Congonhas, Cumbica, Viracopos e Campo de Marte, no Estado de São Paulo. Normalmente, o porcentual de atrasos fica entre 10% e 15% dos vôos previstos.

Mas até as 19 horas de hoje, dos 1.237 vôos programados, 383 atrasaram mais de 30 minutos (31%) e 46 foram cancelados (3,7%), de acordo com a Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero).

No Aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo, foram contabilizados atrasos em 24 dos 146 vôos previstos (16,4%). Dez operações foram suspensas (6,8%). No Aeroporto Internacional de São Paulo, em Cumbica, Guarulhos, foram registrados atrasos em 65 dos 174 vôos programados (37,4%). Duas operações foram canceladas (1,1%). No Aeroporto de Viracopos, em Campinas, interior paulista, das 15 operações previstas, três atrasaram (20%). Nenhum vôo foi suspenso.

No Aeroporto Santos Dumont, no Rio, que ficou fechado entre as 11h42 e as 13h58 de ontem por conta da suspensão dos vôos em São Paulo, apenas dois dos 37 vôos previstos atrasaram. Seis foram cancelados (16,2%). No Aeroporto do Galeão, também no Rio, 16 das 127 operações programadas sofreram atrasos (12,6%) e oito foram canceladas (6,3%).

Já no Aeroporto de Brasília, no Distrito Federal, 40 dos 94 vôos programados atrasaram (42,6%). Três operações foram canceladas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.