Ator Omar Sharif nega indenização a homem agredido por ele nos EUA

O ator Omar Sharif ignorou uma decisão judicial, recusando-se a pagar 455 mil dólares de indenização ao funcionário de um estacionamento de Los Angeles, o qual agrediu, informou um jornal local nesta quarta-feira.

AFP |

No início de 2008, o ator, de 76 anos, abandonou sua própria defesa em um processo civil apresentado pelo guatemalteco Juan Anderson, que foi agredido "física e emocionalmente" na saída de um restaurante especializado em carnes, em Beverly Hills. Segundo o texto da ação, o funcionário não aceitou que Sharif pagasse o estacionamento em euros.

Em fevereiro de 2007, Sharif foi condenado por um tribunal de Los Angeles a dois anos de liberdade condicional e a fazer 15 sessões de terapia para controlar sua ira, por causa do incidente do qual se declarou inocente.

Anderson insistiu em uma ação civil, que o ator está disposto a ignorar.

Segundo o jornal "Los Angeles Times", um dos advogados de Sharif disse que seu cliente perdeu dois anos e muito dinheiro em gastos legais para solucionar o caso e chegou à conclusão que estava "sendo usado" por ser uma celebridade. Por isso, decidiu ignorar o processo e a indenização.

"Sua posição é que não vai pagar um centavo", disse seu advogado, Martin D. Singer, ao jornal.

O ator não possui ativos nos EUA, motivo pelo qual não tem nada a perder ao desrespeitar a ordem judicial, comentaram advogados que conhecem o caso, explicando que a decisão tampouco o impede de viajar para os Estados Unidos, ou trabalhar em produções no Egito e na Europa.

Na ação, Anderson alega ter sido agredido e xingado com palavras racistas por se negar a aceitar uma nota de 20 euros como pagamento. Omar Sharif teria batido em sua cabeça, causando um ferimento, além de chamá-lo de "mexicano estúpido", quando Anderson lhe pediu dólares, em vez de euros.

pb/tt

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG