Atividades e lançamentos para crianças e adolescentes agitam Bienal do Livro

SÃO PAULO ¿ Nesta 20ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, que segue até o próximo domingo (24), as crianças terão diversão garantida. Com um espaço dedicado inteiramente a elas, o Ler É Minha Praia, os pequenos terão um contato com o mundo da leitura de forma lúdica e divertida. Contação de histórias, oficinas de história oral, oficinas de texto, teatro entre outras atividades que desenvolvem a criatividade e o gosto pela leitura. Por esse mesmo caminho segue a editora Ática. No estande, o jovem leitor poderá participar de bate-papo com os autores, participar de sessão de autógrafos, saraus.

Karla Dunder |

O estande da FTD também chama atenção pela criatividade e a presença dos autores. Entre os destaques, vale conferir o recém-lançado "Confissões de Virgínia", de Júlio Emílio Braz. A obra tem como pano-de-fundo a imigração japonesa, mas o autor remete à atualidade. Entram em cena mangás e músicas na dura vida de um dekassegui. A trama envolve um triângulo que envolve Virgínia, sua melhor amiga e o namorado, Pedro.

Uma boa pergunta vale mais do que uma boa resposta. A máxima vale para o "Livro das Perguntas" (Cosac Naify), obra póstuma do poeta chileno Pablo Neruda (1904-1973). O livro foi publicado pela primeira vez em 1974 por uma editora argentina e chega agora ao mercado brasileiro com tradução de Ferreira Gullar e ilustrações do espanhol Isidro Ferrer.

Nesta obra estão reunidas mais de 200 perguntas em forma de versos. Questionamentos sobre vida, morte, natureza e até figuras históricas como Nixon e Hitler. Divagações sem respostas, um exercício de reflexão. O "Livro das Perguntas" é considerado por muitos pesquisadores como o testamento poético de Neruda, o legado poético em forma de perguntas ou o encontro entre o poeta experiente e o jovem Neruda, principalmente no tom aparentemente ingênuo, que lembra bem as perguntas de uma criança, na formulação das perguntas.

O público adolescente também vai se deliciar com as aventuras da jovem Verônica. A coleção "Verônik@_Click", de Carlos Puerto, que é um verdadeiro sucesso na Espanha e chegou ao Brasil pela FTD, conta com quatro títulos que narram as histórias da adolescente, que vive uma aventura virtual ao viajar por clássicos da literatura juvenil.

Heloísa Prieto traz o clima gótico e a atmosfera psicodélica dos anos 1970 em "Lenora", pela Rocco Jovens Leitores. Com um enredo que alterna dois focos narrativos de maneira muito bem amarrada e envolvente, Lenora mostra dois destinos que se cruzam de forma tão intensa quanto poética. A trama é centrada nas reminiscências de Duda, o percussionista da banda Triaprima, ícone do rock nacional nos loucos anos 1970, e na angústia da jovem Lenora, uma garota dos anos 2000, diante do medo que ela sente do mar e do estranho fascínio de seu nome, uma homenagem à vocalista do Triaprima, que também é título de uma de suas músicas e de um belo poema de Edgar Allan Poe.

A Edições SM apresenta nesta Bienal o mini-selo Leituras do Escritor, que integra a coleção Comboio de Corda e reúne antologias de textos de autores brasileiros e estrangeiros. Vale destacar os textos de Ana Maria Machado, Luiz Ruffato e Moacyr Scliar. Outro lançamento que merece destaque é "ABC do Japão", de Stela Barbieri.

Ana Maria Machado lança pela Moderna o livro "O Pescador e a Mãe Dágua", no qual a autora reconta histórias da tradição oral. Em "O Grande Combate", a dupla Heloísa Prieto e Paulo Bloise conduzem o jovem leitor por uma narrativa mitológica, recontando passagens do Mahabharata. Mais do que uma simples leitura, é um modo do jovem leitor entrar em contato com as bases do pensamento e da filosofia do povo hindu. Também vale conferir as aventuras de "Pedro Malasartes em Quadrinhos" por Stela Barbieri e ilustrações de Fernando Vilela.

Leia mais sobre: Bienal do Livro

    Leia tudo sobre: bienal do livroliteratura

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG