Um estudo apresentado na 24ª Reunião Anual da Federação das Sociedades de Biologia Experimental (Fesbe), realizada em Águas de Lindoia, no interior paulista, na semana passada, apontou que a atividade física é capaz de restaurar a sensibilidade dos neurônios envolvidos no controle da saciedade, o que pode contribuir para a redução da ingestão alimentar e, consequentemente, do peso corporal. As informações são da Agência da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

A pesquisa apresentou evidências que mamíferos obesos possuem falhas na transmissão de sinais em neurônios que controlam a saciedade - o que pode acarretar na prevalência da obesidade. Isso sugere que nem só o gasto energético decorrente do exercício físico provocaria a diminuição do peso: também haveria influência da sensibilidade nos neurônios nessa questão. O estudo foi apresentado por Eduardo Rochete Ropelle, pesquisador da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade de Campinas (Unicamp) e do Instituto de Obesidade e Diabetes.

O trabalho do pesquisador envolve dados sobre o comportamento de determinados hormônios, como a insulina e a leptina, sobre o cérebro. Para Ropelle, há diversas evidências que indicam que dietas ricas em ácidos graxos saturados causam falhas na transmissão de alguns desses hormônios no sistema nervoso central, que é considerado a “caixa preta” do controle energético.

AE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.