A onda de ciberataques dirigidos esta semana contra a Coreia do Sul têm origem em 16 países, informaram deputados do Parlamento sul-coreano, com base em informações dos serviços secretos (NIS).

Os ataques virtuais partiram de 86 endereços IP (internet protocol) de 16 países diferentes, entre eles Estados Unidos, Japão e China, segundo o NIS. A Coreia do Norte não está na lista.

Os serviços secretos informaram na quarta-feira à comissão parlamentar que acompanha o tema que a Coreia do Norte - ou grupos simpatizantes - haviam organizado os ataques.

Seul foi alvo na quinta-feira de uma terceira onda de ciberataques contra seus sites institucionais.

Segundo um comunicado do NIS, 12.000 computadores na Coreia do Sul e 8.000 no exterior foram usados para lançar os ataques.

"Não é um simples ataque lançado por particulares. A ofensiva parece ser elaborada por uma organização ou um Estado", destacou o NIS.

Nos Estados Unidos, pelo quarto consecutivo, o site do Departamento de Estado foi objeto de um ciberataque.

O ataque consiste em paralisar o endereço virtual saturando as conexões a partir de computadores infectados com vírus.

sm/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.