Associação defende juízes que soltaram pedreiro em GO

O presidente da Associação dos Magistrados do Distrito Federal, Aiston Henrique de Sousa, divulgou hoje uma nota em defesa dos juízes Luiz Carlos de Miranda e Luciana Yuki Fugishita Sorrentino, que atuaram no processo que resultou na soltura do pedreiro Admar de Jesus, assassino confesso de seis meninos na cidade goiana de Luziânia. É reconhecido o profissionalismo com que os referidos magistrados atuaram no caso, aplicando a jurisprudência e a lei vigente à época do fato, baseando-se em laudos técnicos, afirma Sousa.

Agência Estado |

De acordo com o presidente da associação, o aperfeiçoamento do sistema de Justiça criminal depende da atuação dos outros Poderes e não do Judiciário. "Os magistrados não podem ser criticados por falhas que não são suas", conclui Sousa na nota.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG