Assessor de Lula sugere diálogo para crise Venezuela-Colômbia

BRASÍLIA (Reuters) - O assessor especial para assuntos internacionais do governo brasileiro, Marco Aurélio Garcia, defendeu nesta quarta-feira uma solução para o impasse entre Colômbia e Venezuela na base do diálogo, não do tensionamento político. As relações diplomáticas entre as duas nações estão por um fio. O presidente venezuelano, Hugo Chávez, decidiu retirar seu embaixador de Bogotá, enquanto exportadores colombianos temem prejuízos financeiros, já que a Venezuela é o segundo maior parceiro comercial do país.

Reuters |

"Nossa posição é que as pessoas baixem a bola", disse Marco Aurélio. "Não gostamos de bola muito alta", completou.

Chávez anunciou o congelamento das relações com a Colômbia na terça-feira, um dia depois de a Colômbia afirmar que armas compradas pela Venezuela junto à Suécia foram parar nas mãos das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). Na ocasião, o presidente venezuelano também disse que substituirá importações feitas da Colômbia.

Tanto Chávez quanto outros líderes de esquerda da região andina alegam que o governo colombiano, comandado por Alvaro Uribe, ameaça os vizinhos ao negociar um plano que aumentaria a presença militar dos Estados Unidos no país, tradicional aliado da Casa Branca.

Marco Aurélio embarca para Caracas nesta sexta-feira, numa viagem que já estava prevista, e deve se reunir com Chávez e tratar do tema.

(Reportagem de Natuza Nery)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG