BRASÍLIA - O assessor especial da presidência da República, Marco Aurélio Garcia, afirmou nesta segunda-feira que a decisão da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, de enfrentar publicamente a descoberta de um pequeno tumor (gânglio em sua axila esquerda) irá reforçar sua candidatura.

No último sábado, Dilma anunciou que irá passar por um tratamento de quimioterapia durante quatro meses. Segundo informou Garcia, a ministra irá tirar "de letra" o tratamento da doença.

"Acho que ela vai se sair muito bem dessa, ouvi um parecer do meu filho, que é médico e ele deu duas opiniões, a segunda me pareceu mais importante. Do ponto de vista médico, ela tira de letra e do ponto de vista político, ele disse que isso vai reforçar a sua candidatura. Eu concordo totalmente com isso".

Apesar da possibilidade do PT indicar um novo nome para a sucessão presidencial de 2010, Marco Aurélio destacou que seu voto já é de Dilma. "Se vai ser o nome dela, passa ainda por uma convenção. Mas terá o meu voto, eu sou 'dilmista' de primeira hora e acho que ela vai se sair muito bem."

Leia mais sobre: Dilma Rousseff

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.