O assessor de comunicação do ministro Edison Lobão (Minas e Energia), Antônio Carlos Lima, foi exonerado hoje do cargo. Pipoca, como é conhecido, aparece no esquema de desvio de recursos da Petrobras pela Fundação José Sarney no Maranhão.

Ele é braço direito de Lobão e já foi secretário de Comunicação de Roseana Sarney no governo do Maranhão.

A exoneração foi publicada hoje no "Diário Oficial" da União. Segundo assessores do ministério, ele pediu para sair. Em 9 de julho o jornal O Estado de S. Paulo revelou que a mulher de "Pipoca" foi sócia de uma empresa, a Ação Livros e Eventos Ltda., que recebeu recursos da fundação oriundos da Petrobras. Das 34 notas fiscais emitidas pela Ação, que somam R$ 70 mil, 30 são sequenciais - é como se a firma tivesse apenas a Fundação José Sarney como cliente.

"Pipoca" é irmão de Félix Alberto Lima, dono de outra empresa, a Clara Comunicação, que teria prestado serviços ao projeto da Fundação José Sarney para informatizar seu acervo e que nunca foi executado. As notas da Clara totalizam R$ 103 mil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.