Assembléia destitui presidente acusado de fraude em AL

Por unanimidade, o presidente da Assembléia Legislativa de Alagoas, deputado estadual Antônio Albuquerque (sem partido), foi afastado do cargo, durante sessão plenária, realizada hoje à tarde, no parlamento alagoano. Dos 27 deputados estaduais, dezessete compareceram à sessão e votaram a favor do requerimento pela destituição de Albuquerque, que era o único integrante da Mesa Diretora anterior que ainda se mantinha no cargo.

Agência Estado |

Albuquerque estava afastado do cargo, por decisão da Justiça e a pedido do Ministério Público Estadual (MPE), desde o início do ano, após ser indiciado pela Polícia Federal no inquérito da Operação Taturana, que apura o desvio dos R$ 280 milhões dos cofres do Legislativo. Ele é acusado de ser o principal mentor do esquema montado para desviar recursos para contas de servidores fantasmas, parentes, prepostos, assessores e empregados de parlamentares. Ao todo, 14 deputados estaduais com mandato já foram indiciados, que envolve cerca de cem pessoas.

O ex-presidente ainda não comentou a decisão. Ele era esperado no plenário da Assembléia, que foi reaberto depois de 14 meses fechado para a reforma do prédio, mas não compareceu à sessão. Também não compareceu para uma entrevista à TV Assembléia, que estava completando um ano no ar. Sua assessoria teria informado à produção da emissora que ele estaria sofrendo de uma crise renal e, por isso, estaria impossibilitado de conceder a entrevista.

Com a destituição de Albuquerque, a presidência da Casa fica em definitivo com o deputado estadual Fernando Toledo (PSDB), que vinha exercendo o cargo interinamente. Em entrevista à imprensa, Toledo não quis comentar o afastamento em definitivo do ex-aliado, disse apenas que preferia comemorar a reabertura da Casa e o primeiro ano de aniversário da TV Assembléia - colocada no ar, pela primeira vez, na gestão de Albuquerque.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG