Os deputados da Comissão de Saúde e Higiene da Assembléia Legislativa de São Paulo fizeram um acordo que adiou a votação do projeto de lei que proíbe o fumo em ambiente fechado para depois de uma audiência pública que deverá ocorrer em meados de outubro. A informação é da Federação de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares do Estado de SP e da Associação Brasileira de Gastronomia, Hospedagem e Turismo.

Pesquisa de opinião, divulgada no início do mês, com mil moradores do Estado apontou que 90% da população paulista concorda com a proposta do governador José Serra (PSDB) de criar a “lei seca para o cigarro”. O cerco ao fumo foi aprovado por nove em cada dez entrevistados pelo Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe), em levantamento aleatório, realizado em 100 municípios de SP. Até mesmo os fumantes são maioria no coro a favor da proposta (78%). A pesquisa foi encomendada pelo governo estadual.

Pelo projeto elaborado pelo governador fica proibido fumar em qualquer estabelecimento público ou privado, banindo até os fumódromos dos bares, restaurantes, empresas e casas noturnas. Mas para entrar em vigor, a medida, que prevê multa de até R$ 3,2 milhões para o recinto que desrespeitar a lei, precisa passar pelo aval dos deputados.

AE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.