O presidente da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul aceitou o pedido para instalar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) contra a governadora do Estado, Yeda Crusius (PSDB).

O presidente da Casa, deputado Ivar Pavan (PT), concedeu o requerimento assinado por 39 parlamentares pedindo a instalação da comissão para investigar supostos atos de corrupção no governo gaúcho. A CPI funcionará por 120 dias.

Deferido o requerimento, que será publicado no Diário da Assembleia Legislativa na segunda-feira, haverá prazo de cinco dias consecutivos para que as bancadas passem a indicar os nomes que vão compor a CPI. A comissão será composta por dois parlamentares do PT, do PMDB, do PP e do PSDB e terá um representante do PDT, do PTB, do DEM e do PPS. Após a indicação dos nomes dos deputados, haverá prazo de três dias para que a CPI seja instalada.

O requerimento foi elaborado pela bancada do PT no início de maio, depois de escândalo indicando que o casal Carlos e Yeda Crusius teria usado dinheiro de caixa 2 da campanha de 2006 para compra de um imóvel. O casal nega a acusação.

AE
Centrais sindicais durante manifestação nesta quinta-feira em Porto Alegre

Centrais sindicais durante manifestação nesta sexta-feira em Porto Alegre

Leia também:

Leia mais sobre Yeda Crusius

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.