O fazendeiro Regivaldo Pereira Galvão foi condenado a 30 anos de prisão pela morte da missionária Dorothy Stang, na madrugada deste sábado em Belém, no Pará. A pena foi de 29 anos por homicídio duplamente qualificado e mais um ano de agravante por que a vítima, idosa, não teve chance de defesa.

O fazendeiro Regivaldo Pereira Galvão foi condenado a 30 anos de prisão pela morte da missionária Dorothy Stang, na madrugada deste sábado em Belém, no Pará. A pena foi de 29 anos por homicídio duplamente qualificado e mais um ano de agravante por que a vítima, idosa, não teve chance de defesa.

Galvão ainda não tinha sido julgado por que estava recorrendo em instâncias superiores contra a decisão de ser submetido a júri popular. A sessão do júri foi presidida pelo juiz Raimundo Moisés Alves.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.